Crítica | A Busca

Flávio Siqueira
Por Flávio Siqueira 13 março, 2013 17:45

Crítica | A Busca

a-busca-official-poster-banner-promo-nacional-05marco2013-01

A Busca
Direção.: Luciano Moura
Roteiro.: Elena Soarez e Luciano Moura.
Gênero.: Drama
Distribuidora.: Downtown Filmes
Elenco.: Wagner Moura, Mariana Lima, Brás Moreau Antunes, Lima Duarte.
Sinopse.: “A Busca” é um thriller dramático. No fim de semana que completaria 15 anos, Pedro viaja mas não volta. Seu pai – o médico Theo – cai na estrada seguindo pistas desconcertantes. A viagem – que era para resgatar o filho – acaba transformando o pai.


Avaliação.: Recanto-Adormecido-1.5-Estrelas-F.CINZA-v.01

Com um roteiro mal desenvolvido e recheado de obstáculos simplistas, o longa A Busca – dirigido e co-roteirizado pelo veterano da publicidade e estreante nas telonas Luciano Moura – chega aos cinemas nacionais tentando buscar sua hegemonia entre as grandes produções hollywoodianas.

O nome dado ao longa ‘A Busca’ nos faz refletir diante de tantas buscas e obstáculos gerados por cada um dos personagens na trama, momentos pensamos qual seria a busca do pai até o encontro do seu filho, mas logo começamos a nos deparar com novas buscas de cada um dos personagens para o seu “eu interior” – a busca pelo amor, pela vida, pela liberdade, pelo reencontro – são algumas das buscas que os personagens irão vivenciar nessa trama.

A história se inicia com um drama familiar vivido pelos personagens Theo Gadelha (Wagner Moura), sua esposa Branca (Mariana Lima) e seu filho Pedro (Brás Antunes) que estão em um conflito familiar que pode gerar a separação do casal. Após uma discussão entre pai e filho, o garoto próximo de completar 15 anos decide partir para uma viagem e desaparece. É nesse momento que a trama começa a desmoronar em uma busca com objetivos obscuros e situações desajeitadas.

A dupla de roteirista – Luciano MouraElena Soarez – cometem diversos equívocos no roteiro e em entrevistas não sabem responder a questionamentos básicos de furos de roteiro e falta de lógica em diversos momentos da história, o que faz com que o filme se torne bastante cansativo, previsível e com situações que chegam a beirar o ridículo. Os lugares mais óbvios que o garoto possa estar indo jamais passa na cabeça dos pais do garoto, sendo que este é o ponta pé inicial para essa viagem com destino certo!

Com elenco formado pelos já conhecidos do grande público, Mariana Lima Wagner Moura, esses que nada acrescentam ao filme muito pelo contrário fazem uma atuação linear que chega a dar sono. O longa conta ainda com uma pontinha de Lima Duarte que aparece em uma única oportunidade e rouba totalmente a cena, e é sem dúvida o destaque para esse filme – sim, aqui Lima Duarte aparece como o Pai de Wagner Moura e se destaca com uma atuação que a muito tempo não via o ator executando. Além dos rostos já conhecidos, temos a estreia de Brás Antunes, filho do cantor Arnaldo Antunes, este que assina a trilha do filme. Brás da vida a seu personagem que é o objetivo principal do longa, porém este pouco aparece e pouco se destaca no longa – e as raras vezes que surgi na trama, pouco se entende o que o ator fala – alguém faltou nas aulas de dicção ou não?

Fato curioso que esteve em torno da produção do filme, é o de mais uma vez o cinema nacional optar por um ‘NÃO ATOR’ – Brás Antunes – em sua produção e isso ser levado em suas entrevistas como um ponto positivo pelo ator Wagner Moura, que diz que isso ajuda pois o “ator não vem com hábitos do teatro”. Quem com certeza não deve gostar muito dessas declarações são os atores que estão à anos na luta por uma oportunidade – estudaram, fizeram cursos, possuem talento à altura – porém não teve a sorte na vida de nascer filho de alguém conhecido. Infelizmente essa é a realidade do cenário brasileiro.

A Busca é mais um daqueles filmes que você visualiza um argumento maravilhoso, porém se perde em seus diversos obstáculos que o torna uma busca sem sentido e sem rumo.

Flávio Siqueira
Por Flávio Siqueira 13 março, 2013 17:45


Escreva um comentário

7 Comentários

  1. Tulio março 13, 17:52

    Pede pra sair!!

    Responder a esse comentário
  2. bruno março 13, 17:59

    Eu detesto esse ator!

    Responder a esse comentário
  3. Borges março 13, 19:26

    Como assim ele prefere não ator?? Que ridiculo isso!!

    Responder a esse comentário
  4. Barbara março 13, 22:48

    Sinopse de filme cult >< Medo, pois brasileiro não sabe fazer esse tipo de filme e fica teimando nisso :$ era melhor ficar na comédia que isso sim faz sucesso e é divertididinha na sua maioria

    Responder a esse comentário
  5. Luciana março 14, 09:13

    Ninguém merece o Wagner Moura, não sei o que o povo vê nesse atorzinho!

    Responder a esse comentário
  6. Juca março 14, 20:33

    Eu adoro o Wagner Moura, puta ator talentoso! Sem dúvida seu melhor papel foi no Tropa de Elite, falta ele emplacar algo a altura!

    Responder a esse comentário
  7. Rogério março 15, 00:12

    Eu vi ele no Estúdio I da globo news falando essa merda que o bom do filho do Arnaldo Antunes é que ele não veio do teatro e nem era ator dessa forma não tinha manias de ator… Rídiculo isso, falta de respeito com quem estudou pra ser ator. Só quero ver se esse mlk realmente tem talento, vi um trailer e não gostei nada. Espero que no filme melhore um pouco pelo menos!

    Responder a esse comentário
Leia os comentários

Escreva um comentário

O seu endereço de email não será publicado.
Campos obrigatórios são marcados*

Dora e a Cidade Perdida

Facebook

O Clube dos Canibais
Meu Nome é Daniel