Crítica | INDOMÁVEL SONHADORA

Flávio Siqueira
Por Flávio Siqueira 20 fevereiro, 2013 15:24

Crítica | INDOMÁVEL SONHADORA

beasts-of-the-southern-wild-official-poster-banner-promo-03maio2012-01

Indomável Sonhadora (Beasts of the Southern Wild)
Direção.: Benh Zeitlin
Gênero.: Drama, Fantasia
Roteiro.: Lucy Alibar, Benh Zeitlin
Distribuidora: Imagem Filmes
Elenco: Quvenzhané Wallis, Dwight Henry, Levy Easterly, Lowell Landes, Pamela Harper, Gina Montana, Amber Henry, Jonshel Alexander, Nicholas Clark.
Sinopse.: Hushpuppy (Quvenzhané Wallis) é uma menina de 6 anos que vive com seu pai Wink (Dwight Henry) às margens de um rio em uma comunidade chamada “Banheira”. Um dia ele descobre que está muito doente e apesar disto decide não receber ajuda médica. Wink passa a ensinar a menina como sobreviver para quando ele não estiver mais presente. Indomável Sonhadora recebeu quatro indicações ao Oscar 2013, melhor filme, diretor, atriz e roteiro.

Avaliação.: Recanto-Adormecido-3.0-Estrelas-F.CINZA-v.01

Com elenco, diretor e roteirista estreantes nas telonas – Indomável Sonhadora (Beasts of the Southern Wild) – mostra a real prova de que nem todo projeto necessita de grandes nomes, prova disso vemos a atriz mirim – Quvenzhané Wallis – sendo indicada como a atriz mais nova a concorrer a estatueta de Melhor Atriz no Oscar 2013, além das indicações e prêmios que o longa já vem acumulando.

O longa chega a chocar por mostrar um ponto de vista pouco utilizado na cinematografia americana – aonde Benh Zeitlin e Lucy Alibar mostram para o mundo uma parte dos Estados Unidos em que a miséria é luxo e que o sonho americano ali jamais chegará.

Mostrando o drama vivido pela personagem  Hushpuppy (Quvenzhané Wallis), uma garotinha de seis anos de idade que vive com seu pai Wink (Dwight Henry), às margens de um rio em uma comunidade chamada “Banheira”. Um local miserável e muito bem trabalhado em sintonia entre a produção, direção de arte e Direção, que favorece muito com seus planos abertos intercalados com movimentos delicados mostrando de forma poética a miséria que paira neste local. O drama começa a se intensificar quando Wink descobre estar doente e ter pouco tempo de vida, é neste momento que ele começa a ensinar a menina como sobreviver aos diversos percursos que a vida pode proporcionar. Para isso ela tem que ser forte e é algo que vemos crescer gradativamente na atuação magistral da pequena Quvenzhané Wallis.

É neste momento que Benh Zeitlin começa a dar ainda mais seu tom, ao utilizar o paralelo fantasioso entre Hushpuppy e alguns animais pré-histórico que são mostrados como Javalis ou Porcos-Selvagens. Conforme a pequena vai evoluindo e se fortalecendo para o mundo e em contrapartida Wink piorando de saúde, o roteiro começa a intensificar esse paralelo, mostrando a força que a menina necessita adquirir para enfrentar as lutas da vida.

Indomável Sonhadora é um filme mágico que faz refletir sobre os valores da vida. É neste momento que começamos a refletir os valores da vida que podemos ver que nem tudo é mil maravilhas no filme, o roteiro chega a pecar e colocar pontos de dúvida em relação as pessoas que vivem em situações miseráveis, elas estão ali porque simplesmente querem estar? Ou pois ninguém tentam realmente ajudá-los?

É neste ponto que o roteiro que poderia ter dado uma grande virada nos joga na cara que vai preferir ficar no drama barato e linear e volta para o marco zero, aonde tudo se iniciou, e prefere apenas focar nessa força, coragem e amadurecimento da garota para enfrentar a dura vida na “Banheira”.

Com altos e baixos Indomável Sonhadora se destaca por ser um filme simples, com um elenco maravilhoso e promissor que dão boas vindas as telonas deixando suas marcas. Aliado ao ótimo elenco, estreia também Benh Zeitlin, com uma direção impecável que nos coloca dentro da “Banheira”, juntamente com uma ótima fotografia de Ben Richardson e uma direção de arte exemplar feita por Dawn Masi. O longa acaba deixando a desejar principalmente o roteiro que não arrisca ousar e deixa uma impressão negativa da população que vive em situações semelhantes.

Flávio Siqueira
Por Flávio Siqueira 20 fevereiro, 2013 15:24


Escreva um comentário

4 Comentários

  1. Renato fevereiro 20, 19:37

    Filme bem fraco! Não gostei, parece filme brasileiro que só pensa em mostrar a realidade. E esse é contraditório e uma ofensa as pessoas que vive em condições miseraveis!

    Responder a esse comentário
  2. Rosangela fevereiro 20, 20:42

    Quero muito assistir esse fim de semana, antes do Oscar!! É o ultimo que falta da briga de melhor filme!

    Responder a esse comentário
  3. karla fevereiro 21, 12:11

    Disse tudo!

    Responder a esse comentário
  4. Bruno fevereiro 21, 20:19

    Como mencionado atores bom, mais possui um roteiro péssimo!

    Responder a esse comentário
Leia os comentários

Escreva um comentário

O seu endereço de email não será publicado.
Campos obrigatórios são marcados*

Homem Aranha - Longe de Casa

Facebook

Kardec