A Galeria Gravura Brasileira apresenta a exposição “Um Lugar de Morada”, exposição individual do artista Luciano Bortoletto

Rafael Guirra
Por Rafael Guirra 6 fevereiro, 2013 17:06

A Galeria Gravura Brasileira apresenta a exposição “Um Lugar de Morada”, exposição individual do artista Luciano Bortoletto

A Gravura Brasileira expõe a partir do dia 19 de fevereiro duas séries de trabalhos de Luciano Bortoletto. “Um lugar de morada” apresenta caixas com personagens que compõem diversas situações. “Antes, depois e agora” reúne gravuras criadas a partir da apropriação de imagens elaboradas por outro artista, Guilherme Cota, que cedeu suas placas de metal.

Um lugar de morada

Quatro personagens e seus inúmeros múltiplos habitam as caixas de morar de Luciano Bortoletto. Ele são gravados em metal e, após a impressão, ganham sinais particulares – uma pincelada de nanquim, uma subtração de uma parte do corpo por um recorte inesperado, um acréscimo por justaposição de imagens. São marcas pessoais que, somadas à imagem inicial, definem melhor cada um destes indivíduos.

Eles se agrupam em objetos de madeira e vidro que funcionam como um abrigo, uma casa, um lugar de morada, mas também como uma vitrine. Reunidos, formam um conjunto coeso, apesar de suas diferenças, e encontram um local onde conviver.

Apresentam-se, assim, em um ambiente coletivo e aparentemente protegido. Estão expostos, porém, à visão do observador. Este também se vê em algumas caixas, refletido parcialmente pelos espelhos que aparecem aqui e ali.

Dentro dos seus abrigos, os personagens veem e são vistos. A leitura que temos deles é fragmentada, assim como a visão de nós mesmos. Nessa troca de olhares, o espectador pode ingressar em outro universo em busca do que está oculto em nós – algo como observar a própria incompletude humana.

A partir da disposição das imagens e da construção dos objetos é possível estabelecer uma série de relações, como entre aproximação e distanciamento, brilho e opacidade, identidade e anonimato, individual e coletivo, parte e todo, repetição e criação.

Ao longo da vida, elegemos e habitamos diversas moradas. É nessas instâncias que nos relacionamos, nos apresentamos e representamos. Elas guardam nossas histórias e memórias. Pensar e repensar, entrar, sair, parar, reparar, entender, desentender… São atos como estes que podem responder às perguntas evocadas pelas imagens em cada caixa de morar.

Antes, depois e agora

As estampas aqui reunidas têm como base as placas de metal gravadas inicialmente pelo artista e gravador Guilherme Cota. Por motivos variados, ele se desfez das mesmas e cedeu-as ao amigo e também gravador Luciano Bortoletto.

A partir da apropriação dessas imagens, Bortoletto lidou com a memória pré-existente nas placas e acrescentou outras informações visuais. Desse modo, linhas, planos e histórias diversas coabitam em novas imagens.

O embate sobre uma imagem já existente leva a um confronto de poéticas que podem conviver em um mesmo plano visual, construído em tempos diferenciados e apresentado agora.

SERVIÇO
Um Lugar de Morada
Abertura: 19 de FEVEREIRO | terça-feira | 19-22hs
Galeria Gravura Brasileira
Visitação: de 19 de fevereiro a 28 de março de 2013.
seg a sex- das 10h às 18h | sáb- das 11h às 13h

*As informações são de responsabilidade de seus organizadores e estão sujeitas a alterações sem aviso prévio.

Rafael Guirra
Por Rafael Guirra 6 fevereiro, 2013 17:06


Escreva um comentário

Nenhum comentário

Ainda não há comentários!

Não existem comentários ainda, mas você pode ser o primeiro a comentar este post.

Escreva um comentário
Leia os comentários

Escreva um comentário

O seu endereço de email não será publicado.
Campos obrigatórios são marcados*

Era uma vez em Hollywood

Facebook

Socorro Virei uma Garota!