Jean Reis rege o grande concerto de encerramento da 14ª edição do Festival Música nas Montanhas

Rafael Guirra
Por Rafael Guirra 19 janeiro, 2013 14:07

Jean Reis rege o grande concerto de encerramento da 14ª edição do Festival Música nas Montanhas

Foram duas semanas de oficinas intensas de todos os instrumentos orquestrais, regência e canto. Mais de mil músicos vindos de todas as partes do Brasil e países como França, Estados Unidos, Bolívia, Argentina e uma agenda com cerca de 40 concertos, todos gratuitos, que movimentaram intensamente a cidade mineira de Poços de Caldas (MG). A 14ª edição do Festival Música nas Montanhas (FMM) teve início em 06 de janeiro e termina neste sábado (19), com vários motivos para comemoração. Entre eles, o imenso público que esteve em peso presente em todos os espetáculos. Para o último, a expectativa é de recordes. O Teatro da Urca será palco do concerto de encerramento do evento, às 20h30 de sábado e a Orquestra Sinfônica do Festival é a grande atração, sob regência do maestro Jean Reis, fechando de forma grandiosa esta edição do Festival.

A Orquestra Sinfônica do Festival é integrada por 122 músicos de alto nível técnico que, no programa desta noite, apresentam a obra “Os Planetas, Op.32”, de Gustav Holst (1874-1934), passando pelos movimentos “1.Marte, Deus da Guerra”; “2. Vênus, Deus da Paz”; “3. Mercúrio; Mensageiro Alado; “4. Júpiter, Deus da Alegria”, “5. Saturno, Deus da Velhice”, “6. Urano, o Mago” e  “7. Netuno, o Místico”.

A regência é do maestro e diretor artístico do evento, Jean Reis, mestre em Música pela Andrews University e University of Redlands em Regência Orquestral e Violino. Reis esteve à frente da Orquestra Arpeggione (Áustria), Mont Blanc Chamber Orchestra (França), Banda Sinfônica da Cidade de Buenos Aires, Orquestra Filarmônica de Mendoza, Northwest Florida Ballet, Northwest Florida Symphony Orchestra,  Sinfonia Gulf Coast, Orquestra Sinfonia Cultura, Orquestra Jazz Sinfônica do Estado de São Paulo e Orquestra Sinfônica de Campinas.

Regendo a Symphony of Americas estreou mundialmente a Sinfonia Brasileira, de Arthur Barbosa, e o Concerto para Piano e Orquestra, de Guilherme Bernstein Seixas, no Broward Center –  em Fort Lauderdale.  Estreou o Concerto para Violino e Orquestra, de Arthur Barbosa, junto a University of Southern Mississippi Symphony Orchestra, onde atuou como maestro assistente tendo oferecido a vários jovens músicos brasileiros a possibilidade de continuar os  estudos nos Estados Unidos.

Maestro convidado do Hot Music Festival, em Arkansas em 2009, gravou o Concerto para Violoncelo e Orquestra de Alan Shulman, interpretado pelo violoncelista Wesley Baldwin.  Em 2011 foi maestro convidado pelo The Nacional Music Festival, nos EUA e Espressivo  Music Festival, na República de Montenegro.

Segundo o maestro, há 14 anos, quando o então Secretário de Turismo de Poços de Caldas, Marcus Togni, procurou-lhe idealizando em Poços um Festival de Música erudita, que alavancasse o turismo e movimentasse a cultura, ainda não era possível imaginar que o evento ganhasse a proporção atual.

BALANÇO DE 14 EDIÇÕES

De acordo com balanço da direção do FMM, em 14 edições, o evento recebeu pelo menos 315 mil espectadores nos concertos. Vindos de cerca de 40 países de todo o mundo, mais de 10 mil alunos estiveram em Poços de Caldas exclusivamente para o Festival, em 14 anos. A cada edição, pelo menos 12 Estados do Brasil são representados através de alunos e professores. O Música nas Montanhas já mandou para o exterior cerca de 60 alunos, que ganharam bolsas em Universidades Internacionais de música, em  países como EUA, Chile, República Dominicana, Argentina, Alemanha, Irlanda, Portugal, entre outros.

“Graças ao essencial apoio do Grupo DME, através das Leis de Incentivo à Cultura, temos conseguido viabilizar a realização do Festival, há 10 anos. Esse entendimento de que a cultura parte, em essencial, da união de esforços do poder público e privado, além da própria cadeia produtiva cultural, é fundamental para que nossa cidade figure entre as mais importantes fomentadoras de música em Minas e no Brasil”, avalia a Diretora Administrativa do evento, Raquel Mantovani.

Os convênios selados com grandes instituições internacionais proporcionam, ainda, intercâmbio entre os alunos, que vêm ao interior de Minas Gerais atraídos pelo alto nível técnico do corpo docente, as bolsas com alojamento e o baixíssimo custo para a participação nas oficinas.

Diferente de festivais de música erudita que em sua maioria têm a cobrança de ingressos para os concertos, o que reduz o acesso da população à música, o Música nas Montanhas oferece mais de 40 concertos totalmente gratuitos, todos com grupos de relevância nacional e internacional.

Outro ponto fundamental é a série de concertos especiais, que desloca os músicos para locais diferenciados, como asilos, zona rural, entidades assistenciais e é voltada ao público que não pode ir ao teatro.

Para os músicos e o público, que esteve em peso em todas as apresentações, o evento, que ainda não terminou, já deixa saudades e a expectativa de que a edição comemorativa aos 15 anos, em 2014, será um marco na história, tanto de Poços de Caldas, quanto do Festival.

PROGRAMAÇÃO

Neste sábado, além do concerto noturno às 20h30, no Teatro da Urca, ainda acontecem outras duas séries de apresentações: a Série de Concertos Especiais, com espetáculo às 15h, no Museu Histórico e Geográfico de Poços de Caldas e a Série Casa da Cultura e Museu, com apresentação às 17h, da Classe de Piano do Festival, no Instituto Moreira Salles. Todos os concertos têm entrada gratuita.

 

Rafael Guirra
Por Rafael Guirra 19 janeiro, 2013 14:07


Escreva um comentário

Nenhum comentário

Ainda não há comentários!

Não existem comentários ainda, mas você pode ser o primeiro a comentar este post.

Escreva um comentário
Leia os comentários

Escreva um comentário

O seu endereço de email não será publicado.
Campos obrigatórios são marcados*

Angry Birds 2

Facebook

O Clube dos Canibais
Meu Nome é Daniel