Cia. de Dança Palácio das Artes apresenta Tudo que se torna Um

Rafael Guirra
Por Rafael Guirra 11 setembro, 2012 08:05

Cia. de Dança Palácio das Artes apresenta Tudo que se torna Um

Passagem do tempo, celebração, luto, memória e transição. Esses são alguns temas abordados na montagem da Cia. de Dança Palácio das ArtesTudo que se torna Um, que será apresentado no Grande Teatro do Palácio das Artes na próxima quinta-feira13 de setembro, às 20h30. Os ingressos custam R$24 (inteira) R$12 (meia-entrada) e podem ser adquiridos na bilheteria do teatro ou pelo site ingresso.com. Realizado pela Secretaria de Estado de Cultura de Minas Gerais, por meio da Fundação Clóvis Salgado, o espetáculo tem a direção de Sônia Mota, diretora artística da Companhia.

Depois de passar por São Paulo e Juiz de Fora, a Cia. de Dança retomou a versão original do espetáculo e, no dia 13 irá apresentá-la na íntegra. Apesar disso, a atuação dos bailarinos não será a mesma. De acordo com Sônia Mota, diretora da Cia. de Dança, “o amadurecimento do grupo é resultado da própria vivência do trabalho. As adaptações pelas quais Tudo Que Se Torna Um passou mudaram a temática do espetáculo e fizeram surgir novas possibilidades”. Uma novidade para esta apresentação é a posição ocupada pelo bailarino solista, que transita pelas bordas e não pelo centro, como era antes. “Fizemos essa modificação porque, com a retirada de alguns painéis nas últimas apresentações, o grupo precisava de uma referência para a figura do “Um”. E a adaptação foi mantida porque enriqueceu o espetáculo”, completa.

Com trilha sonora de Daniel Maia composta especialmente para o espetáculo e muita poesia, a montagem transita por diversos estilos (clássicos, modernos, experimentais e contemporâneos) do grupo, evidenciando sua metamorfose ao longo dos seus 40 anos. As criações cênico-coreográficas do espetáculo são assinadas pelos 22 bailarinos. Eles levam ao palco suas experiências pessoais, afetivas e físicas, vividas dentro e fora da Cia. que, associadas coreograficamente, acabam revelando a história do grupo.

O cenário foi criado por Felippe Crescenti (SP) e tem um papel importante no espetáculo: movimenta-se, de forma simples e precisa, demarcando por meio de 15 painéis translúcidos a passagem do tempo. O desenho de luz, assinado por Pedro Pederneiras, complementa o cenário trazendo texturas sutis para os movimentos dos bailarinos.

Já o figurino elaborado por Fabio Namatame (SP) pretende destacar o preto e a pele associando-os a outras cores. “Quero ressaltar o detalhe de cada indivíduo cuidadosamente”, afirma. “Acredito que este seja um espetáculo plástico e majestoso, e assim devem ser as vestimentas”, acrescentou Namatame. O figurino é inicialmente composto por vestes requintadas que, aos poucos, vão se desmembrando, tornando-se cada vez mais minimalistas.

Para a presidente da Fundação Clóvis Salgado, Solanda Steckelberg, a Cia. de Dança Palácio das Artes, nos últimos quarenta anos, trilhou variados caminhos estéticos, simbólicos, gestuais e temáticos no mundo da dança até chegar ao estágio atual com um repertório vasto de possibilidades. “Na trajetória da Fundação Clóvis Salgado, a dança cumpre um papel fundamental na reflexão sobre os rumos da arte contemporânea. Tudo que se torna Um chega ao público para celebrar a importância deste legado”, completa.  

Cia de Dança Palácio das Artes

Reconhecida pela sua trajetória essencialmente ligada à dança em Minas Gerais, a Cia. de Dança Palácio das Artes é uma das poucas companhias estatais do gênero no Brasil que tem a pesquisa, a investigação, a diversidade de intérpretes, a co-criação dos bailarinos e a transdisciplinaridade como pilares de sua produção artística, o que a coloca em profunda conexão com as questões da arte contemporânea.

Desde sua fundação em 1971, destacam-se apresentações em capitais brasileiras e em países como Cuba, França, Palestina, Jordânia, Líbano e Portugal.

Sob a direção artística de Sônia Mota, desde março de 2010, a Cia. de Dança segue valorizando a potencialidade criadora dos bailarinos.

SERVIÇO
Tudo que se torna Um
uma síntese coreográfico arquitetônica do tempo
Data: 13 de setembro (quinta-feira), às 20h30
Local: Grande Teatro do Palácio das Artes
Valor: 24,00 (inteira) e 12,00 (meia)
Duração: 1h15
Classificação etária: 14 anos
Informações para o público: 3236-7400

*As informações são de responsabilidade de seus organizadores e estão sujeitas a alterações sem aviso prévio.

Rafael Guirra
Por Rafael Guirra 11 setembro, 2012 08:05


Escreva um comentário

Nenhum comentário

Ainda não há comentários!

Não existem comentários ainda, mas você pode ser o primeiro a comentar este post.

Escreva um comentário
Leia os comentários

Escreva um comentário

O seu endereço de email não será publicado.
Campos obrigatórios são marcados*

Aprendiz de Espiã

Facebook