Projeto de Digitalização do Acervo do Museu Imperial entra em nova fase

Rafael Guirra
Por Rafael Guirra 7 setembro, 2012 15:03

Projeto de Digitalização do Acervo do Museu Imperial entra em nova fase

O Projeto de Digitalização do Acervo do Museu Imperial (Projeto DAMI) entra em uma nova fase a partir deste mês. Nesta etapa, serão digitalizadas as coleções Museu Histórico de Petrópolis e José Kopke Fróes, que, somadas, contabilizam 3.612 itens de natureza arquivística, bibliográfica e museológica.

A partir de agora, o projeto conta com recursos recebidos através da assinatura de um termo de parceria com o Conselho Federal Gestor do Fundo de Defesa de Direitos Difusos (CFDD), órgão colegiado, no âmbito da estrutura organizacional do Ministério da Justiça. Com o financiamento, foi contratada uma equipe composta por um técnico em fotografia e imagem, três técnicos de acervo, um digitalizador, um revisor de texto, um analista de sistemas e um administrador de produção, que coordenará o trabalho.

“O principal objetivo do Projeto DAMI é a universalização do acesso ao acervo preservado no antigo Palácio Imperial de Petrópolis, hoje Museu Imperial, e referência para o estudo da história do Brasil durante o período imperial e da história do estado do Rio de Janeiro e da cidade de Petrópolis”, afirma Maurício Vicente Ferreira Jr., diretor do Museu Imperial.

A importância do projeto foi reconhecida recentemente pelo Conselho Internacional de Museus (ICOM), que a destacou no seu boletim eletrônico (http://archives.icom.museum/e-newsletter/27_august2012_en.html), enviado a museus e associados de todo o mundo. “Projetos como esse têm como objetivo promover maior acessibilidade ao acervo relacionado ao Brasil na monarquia dos Bragança, ressaltando o nascimento da cidade e o ambiente do Palácio durante o período imperial”, diz o texto.

Além da digitalização e disponibilização das imagens em um banco de dados online (www.museuimperial.gov.br/dami), os itens recebem um tratamento técnico de catalogação e organização, que permite fornecer ao público as informações relativas a cada peça. O objetivo é disponibilizar todo o acervo do Museu Imperial, incluindo objetos, móveis, obras de arte, livros, periódicos, documentos, fotografias e outros. Em aproximadamente dez anos, serão digitalizados todos os cerca de 300 mil itens do acervo, o que deve gerar o número estimado de 8 milhões de imagens.

Rafael Guirra
Por Rafael Guirra 7 setembro, 2012 15:03


Escreva um comentário

Nenhum comentário

Ainda não há comentários!

Não existem comentários ainda, mas você pode ser o primeiro a comentar este post.

Escreva um comentário
Leia os comentários

Escreva um comentário

O seu endereço de email não será publicado.
Campos obrigatórios são marcados*

Angry Birds 2

Facebook

O Clube dos Canibais
Meu Nome é Daniel