Divergente | Adaptação da trilogia literária juvenil pode ser dirigida por Neil Burger

Luiz Guirra
Por Luiz Guirra 24 agosto, 2012 14:15

Divergente | Adaptação da trilogia literária juvenil pode ser dirigida por Neil Burger

Divergent, da autora Veronica Roth

A Summit Entertainment acaba de anunciar oficialmente que adquiriu os direitos para adaptação ao cinema do primeiro volume da trilogia literária juvenil criada por Veronica Roth, “Divergente” (“Divergent”). Para dirigir a produção o nome preferido do estúdio até o momento é do cineasta Neil Burger (“Sem Limites”, “O Ilusionista”). As informação são do site Variety, que também afirma que o cineasta está em fase avançadas de negociações para assumir a direção do projeto.

O livro a “Divergente” escrito pela autora Verônica Roth, será lançado no Brasil em setembro pelo selo da Editora Rocco Jovens Leitores.

Confira a sinopse oficial do livro “Divergente”.:

Na antiga e distópica Chicago, a sociedade é dividida em cinco facções, cada uma dedicada ao cultivo de uma virtude: Candor (Honestidade), Abnegation (Altruísmo), Dauntless (Coragem), Amity (Paz) e Erudite (Inteligência). No dia marcado de cada ano, todos com 16 anos devem escolher uma facção à qual irão dedicar o resto de suas vidas. Para Beatrice, a decisão está entre ficar com sua família e ser quem ela realmente é – ela não pode ter os dois. Então ela faz uma escolha que surpreende a todos, inclusive a ela mesma.

Durante a altamente competitiva iniciação que se inicia, Beatrice muda de nome e passa a se chamar Tris e luta para determinar quem são seus verdadeiros amigos – e onde exatamente um romance com um rapaz às vezes fascinante e por vezes enfurecedor se encaixa na vida que escolheu. Mas Tris também tem um segredo que manteve escondido de todos, porque poderia significar a sua morte. E quando ela descobre um conflito crescente que ameaça a sua sociedade aparentemente perfeita, ela também aprende que o seu segredo pode ajudar a salvar aqueles que ela ama… ou destruí-los. Uma escolha pode transformar você – ou pode te destruir. Mas toda escolha traz consequências, e quando a inquietação surge nas facções, Tris Prior precisa continuar tentando salvar aqueles que ela ama – e a ela mesma – enquanto ela lida com questões que a perseguem sobre tristeza e perdão, de identidade e lealdade, política e amor.

O dia de iniciação de Tris deveria ter sido marcado por celebração e vitória com a sua facção escolhida; ao invés disso, o dia termina com indizível horrores. A guerra agora surge com conflitos entre as facções e suas ideologias crescem. E nos tempo de guerra, um lado deve ser escolhido, segredos serão emergidos, e escolhas se tornarão ainda mais irrevogáveis – e ainda mais poderosas. Transformada pela suas próprias decisões mas também por ser perseguida pela dor e culpa, novas descobertas e relações deslocadas, Tris precisa aceitar plenamente sua Divergência, mesmo se ela ão souber o que ela pode perder fazendo isso.

O filme, que tem o roteiro adaptado escrito por Evan Daugherty (“Branca de Neve e o Caçador”), tem suas filmagens previstas para iniciar em Março de 2013 sendo sua estreia no início de 2014.

Luiz Guirra
Por Luiz Guirra 24 agosto, 2012 14:15


Escreva um comentário

Nenhum comentário

Ainda não há comentários!

Não existem comentários ainda, mas você pode ser o primeiro a comentar este post.

Escreva um comentário
Leia os comentários

Escreva um comentário

O seu endereço de email não será publicado.
Campos obrigatórios são marcados*

Homem Aranha - Longe de Casa

Facebook

Kardec