O senhor do labirinto, de Geraldo Motta, tem pré-estreia na mostra Imagens do inconsciente, no Instituto Moreira Salles

Rafael Guirra
Por Rafael Guirra 21 agosto, 2012 12:06

O senhor do labirinto, de Geraldo Motta, tem pré-estreia na mostra Imagens do inconsciente, no Instituto Moreira Salles

Paralela às exposições Raphael e Emygdio: dois modernos no Engenho de Dentro Nise da Silveira: caminhos de uma psiquiatria rebelde, em cartaz no IMS-RJ até 7 de outubro, a mostra de cinema Imagens do inconsciente aborda a produção artística como alternativa no tratamento psiquiátrico. Dentro da programação, será realizada, no dia 25 (sábado), às 16h, pré-estreia do filme O senhor do labirinto (2010), de Geraldo Motta, com Flavio Bauraqui, Irandhir Santos e Maria Flor no elenco. Após a sessão do longa, o diretor Geraldo Motta e o ator que interpreta Bispo do Rosário, Flavio Bauraqui, participarão de um bate-papo.

O Senhor do Labirinto conta a história de Arthur Bispo do Rosário, sergipano de origem simples, vítima de esquizofrenia, que viveu assombrado por misticismos e alucinações nas instituições psiquiátricas pelas quais passou, entre 1938 e 1989, ano de sua morte. Durante seus períodos de clausura na Colônia Juliano Moreira (Rio de Janeiro), onde viveu por 50 anos, Bispo do Rosário produziu um acervo de bordados,  estandartes e assemblages que ganharam postumamente o Brasil e o mundo com seus insuspeitos traços de arte pop contemporânea e a pungência de sua trajetória.

O filme é baseado no livro “Arthur Bispo do Rosário – O Senhor do Labirinto” (Editora Rocco/Prêmio Jabuti 1997), de Luciana Hidalgo. A produção é da Tibet Filmes. O roteiro do filme foi escrito a quatro mãos pela autora do livro, Luciana Hidalgo, e por Geraldo Motta, diretor de cinema e filósofo, idealizador do projeto, que foi premiado em 2003 pelo Concurso para Desenvolvimento de Roteiro, promovido pelo MINC, e conta com o patrocínio da Petrobrás, do Banese (Banco do Estado de Sergipe), Energisa, Governo do Estado de Sergipe e Prefeitura de Japaratuba, entre outros.

SOBRE ARTHUR BISPO DO ROSÁRIO

Bispo do Rosário nunca se proclamou artista, já que toda sua produção de objetos, bordados e estandartes, criada num quarto-forte na Colônia Juliano Moreira, em Jacarepaguá, destinava-se à apresentação a Deus no dia do Juízo Final. Desde sua primeira exposição individual realizada na galeria da Escola de Artes Visuais do Parque Lage em outubro de 1989, intitulada Registros da Minha Passagem pela Terra, sua obra, de inspiração mística, atrai milhares de visitantes, tornando-se tema de ampla mídia e objeto de estudo em universidades.

Em 25 de novembro de 1992, o instituto Estadual de Patrimônio Artístico e Cultural reconheceu a relevância de sua obra no contexto histórico da arte brasileira e decretou seu integral tombamento. A medida representou o reconhecimento definitivo da importância dos valores culturais genuinamente nacionais incutidos na obra de Arthur Bispo do Rosário.

Entre 1989 e 1992, um público de 350 mil pessoas compareceu às exposições de Bispo no Brasil. No mesmo período, 400 mil expectadores visitaram suas exposições no exterior. Em 1995, seus bordados, assemblages e estandartes representaram o Brasil na Bienal de Veneza e foram requisitados para mostras em outros países, tendo sido expostos no Museu Jeu de Paume, em Paris, em 2003, entre outros locais.

Em 2012, Bispo do Rosário foi anunciado como nome central da 30ª Bienal de São Paulo, que acontecerá em setembro.

Programação

Programação da mostra Imagens do inconsciente:

SEXTA 10

15h30 Moacir – Arte bruta, de Walter Carvalho (Brasil, 2004. 74’)

20h00 Em busca do espaço cotidiano, de Leon Hirszman (Brasil, 1984.80’)

SÁBADO 11

18h00 Estrela de oito pontas, de Marcos Magalhães e Fernando Diniz (Brasil, 1996. 12’) 

Gotas de chuva sobre a grama, de Gina Ferreira (Brasil, 1996. 12’)

18h30 No reino das mães, de Leon Hirszman (Brasil, 1984. 55’)

DOMINGO 12

18h00 A barca do sol, de Leon Hirszman (Brasil, 1984. 70’)

SEXTA 17

18h00 A barca do sol, de Leon Hirszman (Brasil, 1984. 70’)

SÁBADO 18

16h00 Em busca do espaço cotidiano, de Leon Hirszman (Brasil, 1984. 80’)
Sessão seguida de debate com Walter Mello

DOMINGO 19

16h00 No reino das mães, de Leon Hirszman (Brasil, 1984. 55’)

SÁBADO 25

16h00 Pré-estreia: O senhor do labirinto, de Geraldo Motta (Brasil, 2010. 80’)
Sessão seguida de debate com Geraldo Motta e Flavio Bauraqui.

20h00 A barca do sol, de Leon Hirszman (Brasil, 1984. 70’)

Gotas de chuva sobre a grama, de Gina Ferreira (Brasil, 1996. 12’)

DOMINGO 26

16h00 Em busca do espaço cotidiano, de Leon Hirszman (Brasil, 1984. 80’)

Estrela de oito pontas, de Marcos Magalhães e Fernando Diniz (Brasil, 1996.12’)

SEXTA 31

14h00 Moacir – Arte bruta, de Walter Carvalho (Brasil, 2004. 74’)

SERVIÇO
Mostra Imagens do inconsciente
Instituto Moreira Salles
Endereço: Rua Marquês de São Vicente, 476, Gávea – Rio de Janeiro – RJ
Tel.: (21) 3284-7400; Fax: (21) 2239-5559
De terça a domingo e feriados, das 11h às 20h.
www.ims.com.br
Preço: R$ 12,00 (inteira) / R$ 6,00 (meia).
Passaporte | Para o mês de agosto – no valor de R$ 30,00 –, é válido para 10 sessões das mostras organizadas pelo IMS.
Ambiente WiFi
Acesso a portadores de necessidades especiais
Estacionamento gratuito no local
Capacidade da sala: 113 lugares
Ingressos e senhas sujeitos à lotação da sala
O cinema do IMS funciona de terça a domingo.

*As informações são de responsabilidade de seus organizadores e estão sujeitas a alterações sem aviso prévio.

Rafael Guirra
Por Rafael Guirra 21 agosto, 2012 12:06


Escreva um comentário

Nenhum comentário

Ainda não há comentários!

Não existem comentários ainda, mas você pode ser o primeiro a comentar este post.

Escreva um comentário
Leia os comentários

Escreva um comentário

O seu endereço de email não será publicado.
Campos obrigatórios são marcados*

Aprendiz de Espiã

Facebook