Notas Contemporâneas traz Edmundo Villani-Côrtes

Rafael Guirra
Por Rafael Guirra 16 junho, 2012 11:06

Notas Contemporâneas traz Edmundo Villani-Côrtes

Na segunda edição de 2012, Notas Contemporâneascom curadoria do Cleber Papa, recebe o compositor Edmundo Villani-Côrtes, com um espetáculo ao vivo onde serão apresentadas peças representativas de sua produção, na sexta-feira, 20 de junho, às 20h. Os ingressos já estão à venda na Recepção do MIS e pelo site da Ingresso Rápido.

O concerto será realizado pelo pianista Marco Antonio Bernardo, pelo contrabaixista Gê Côrtes, o sax-tenor Ed Côrtes,  as sopranos Efigênia Côrtes e Eliane Chagas e o barítono Yuri Jaruskevicius que interpretarão Anfora, Choron, Balada dos 15 minutos, Dueto do 3º ato da ópera Poranduba, Ária de Ceucy e Canção de Carolina.

O projeto Notas Contemporâneas do MIS, instituição da Secretaria de Estado da Cultura, realiza a captura de depoimentos orais e coleta registros de artistas da música erudita contemporânea. Antes do espetáculo, o público poderá acompanhar uma conversa entre um jornalista e o compositor a respeito da sua carreira e da música erudita.

Pianista, regente, arranjador e compositor, Edmundo Villani-Côrtes nasceu em Juiz de Fora, MG. Formou-se em piano em 1954, pelo Conservatório Brasileiro de Música. Foi professor da Academia Paulista de Música e do Instituto de Artes da UNESP e em 1988 concluiu Mestrado de Composição na Escola de Música da UFRJ.

Sua atuação nas últimas décadas sempre foi intensa, tanto na área da música de concerto como na de música popular. Iniciou sua carreira profissional tocando piano na Orquestra Tamoio, do maestro Cipó, no Rio de Janeiro. Em 1965, integrou a orquestra de Luís Arruda Paes, com a qual atuou até 1967.

Na década de 1960 trabalhou em gravadoras e em emissoras de TV, chegando a escrever mais de 600 arranjos para as orquestras da TV Tupi e TV Globo, do Rio de Janeiro. Nos anos 1970 trabalhou como arranjador na TV Tupi de São Paulo, realizando mais de mil orquestrações para músicas de vários gêneros. Foi o pianista do grupo musical dos primeiros anos do programa de Jô Soares (então chamado Jô Soares Onze e Meia), no SBT.

Em 1990 e 1991, foi regente da Orquestra Jazz Sinfônica do Estado de São Paulo. Compôs várias peças de música orquestral, de câmara, de música instrumental e vocal, além de música eletroacústica. Sua obra inclui mais de 250 composições, boa parte delas gravadas em mais de 50 CDs no Brasil e no Exterior.

Sobre os músicos:

ED CÔRTES, saxofones e clarinetes

Trabalha há 20 anos fazendo trilhas para comerciais de tv (www.tentaculoaudio.com.br) , cinema (Cidade de Deus, Não Por Acaso, Rinha..) arranjos e regência para cinema (Collateral , Senhor das Armas , Abril Despedaçado..) e para música pop como as bandas Skank e Jota Quest.

EFIGÊNIA CÔRTES, soprano

Natural de Teixeiras, MG, onde muito cedo começou a estudar música e violino com sua mãe, que além de violinista era também cantora. Aos 17 anos já morando em Juiz de Fora, e influenciada pelos musicais do cinema americano, se encantou com o canto lírico, e logo iniciou seus estudos e aos 20 anos foi laureada no concurso para jovens solistas da Orquestra Sinfônica do Teatro Municipal do Rio de Janeiro. Mais tarde ao se mudar para São Paulo aperfeiçoou-se com a Prof. Herminia Russo, e passou a integrar o Coral Lírico do Teatro Municipal de São Paulo, onde teve oportunidade de apresentar-se também como solista em óperas e Concertos Sinfônicos. Atualmente se dedica ao ensino de canto lírico.

ELIANA CHAGAS, soprano

Nascida em São Caetano, cidade do interior pernambucano, iniciou seus estudos na Orquestra Sinfônica do Agreste com o maestro Mozart Vieira, estudando solfejo, canto coral e trombone. Em 1992 conheceu Maria Lucia Godoy, soprano brasileira, que a orientou para o canto lírico. Atualmente integra o coro de câmara da OSESP e está sob orientação vocal de Efigênia Côrtes. Em turnê pela França cantou as Bachianas n° 5 de Villa-Lobos no cinqüentenário da UNESCO em Paris. Foi integrante do coral Contracantos do maestro Flávio Medeiros em Recife, com quem, em 2006, viajou para os EUA em apresentações nas universidades de Princeton, West Virginia, Notre Dame e Indiana. Foi solista e diretora do grupo de câmara Camerata Caruaru, conhecido atualmente como Camerata Bachiana. Também foi solista junto a Orquestra Sinfônica do Recife no Réquiem de Mozart e na Nona Sinfonia de Beethoven, sob a regência de Osman Gioia.

GÊ CÔRTES, contrabaixo

Estudou com os professores Luiz Chaves (Zimbo Trio) e Sandor Molnar (Teatro Municipal), com Thibault Delor e atualmente cursa bacharelado em música – habilitação em instrumento na Unesp. Lecionou contrabaixo (acústico e elétrico) nas escolas CLAM e na ULM. Fundou e integrou o Grupo KALI, composto por mulheres, dedicado à música instrumental brasileira e ao jazz. Acompanhou vários cantores, dentre eles: Ritchie, Jane Duboc, Eliete Negreiros, Adriana Mezzadri e Milton Nascimento. É integrante da Orquestra “Jazz Sinfônica” desde 1990.

Em 2000 passou a integrar a Banda “Altas Horas”, no programa do apresentador Serginho Groisman, na Rede Globo.

MARCO ANTONIO BERNARDO, piano

Natural de São Paulo, capital, é músico eclético, respeitado no meio musical por um talento incomum que o permite transitar fluentemente pelos mais variados meios de expressão musicais, tanto na música erudita como na popular. É pianista e diretor musical contando com numerosas gravações, destacando os CDs Carinhoso, Homenagem a Canhotinho, Encores e O Cancionista; Regente e idealizador de corais em São Paulo desde 1984, com trabalhos também registrados em CDs; Arranjador e compositor com obras editadas pela Irmãos Vitale. Pianista solista e acompanhador, atua junto à nata dos cantores líricos e populares brasileiros e é ligado ao Teatro Municipal de São Paulo desde 1989; Pesquisador da música popular brasileira premiado pela Fundação Vitae em 1993, editou pela Irmãos Vitale os livros Nabor Pires Camargo, Uma Biografia Musical (2002) e Waldir Azevedo, Um Cavaquinho na História (2004).

YURI JARUSKEVICIUS, barítono

Aluno do soprano Efigênia Côrtes, teve sua estréia no Teatro Municipal de São Paulo aos 18 anos de idade interpretando o papel título em Dido e Aeneas de Purcell. Durante 10 anos de carreira atuou em óperas, concertos e recitais nos mais importantes teatros do Brasil, Argentina e Chile. É ganhador dos mais importantes prêmios de canto no Brasil como Concurso Maria Callas, Eleazar de Carvalho, Honorina Barra, Aldo Baldin e Concurso Bidu Sayão. Dedicou-se especialmente a concertos inteiramente dedicados à música brasileira, incluindo um concerto dedicado a compositores brasileiros no Teatro Argentino de La Plata, na séria de música de câmara do Teatro Colón, durante sua reforma. Fez diversas primeiras audições de compositores brasileiros, inclusive de peças escritas e dedicadas a ele, tais como “Missa” de Edmundo Villani-Côrtes e “A Tempestade” de Ronaldo Miranda.

SERVIÇO
Notas Contemporâneas – Edmundo Villani-Côrtes
Data: 20.06 às 20h
Museu da Imagem e do Som – MIS
Endereço: Avenida Europa, 158, Jardim Europa, São Paulo
Local: Auditório MIS
Informação: (11) 2117 4777 | www.mis-sp.org.br
Estacionamento conveniado: R$ 8 (até as 18hs, por período de até 6 horas); R$ 15 (período superior a 6 horas e após as 18hs)
Acesso e elevador para cadeirantes. Ar condicionado.
Capacidade: 173 lugares
Classificação etária: livre

Ingresso R$ 4 (inteira), R$ 2 (meia) À venda na Recepção MIS (terças a sextas, das 12h às 21h30h; sábados, domingos e feriados, das 11h às 20h30) e no site www.ingressorapido.com.br

*As informações são de responsabilidade de seus organizadores e estão sujeitas a alterações sem aviso prévio.

Rafael Guirra
Por Rafael Guirra 16 junho, 2012 11:06


Escreva um comentário

Nenhum comentário

Ainda não há comentários!

Não existem comentários ainda, mas você pode ser o primeiro a comentar este post.

Escreva um comentário
Leia os comentários

Escreva um comentário

O seu endereço de email não será publicado.
Campos obrigatórios são marcados*

Homem Aranha - Longe de Casa

Facebook

Kardec