Exposição “São Paulo Mon Amour” no Museu Brasileiro da Escultura

Rafael Guirra
Por Rafael Guirra 27 fevereiro, 2012 11:18

Exposição “São Paulo Mon Amour” no Museu Brasileiro da Escultura

O Depois de surpreender o público parisiense em 2009 com os graffitis abstratos de Zezão pelo canal de Saint Martin e as catacombes, estarrecer o pedestre com o cartaz da nudez de Alessandra Cestac pelas escadarias de Montmartre e destacar o olhar de Gal Oppido entre outros na Maison des Metallos em Belleville, a exposição São Paulo Mon Amour – SPMA finalmente toma lugar na cidade que a motivou.

 

Desta vez, acontece no MuBE (Museu Brasileiro da Escultura) uma obra coletiva sobre a produção artística presente e inspirada pela metrópole de São Paulo, apresentando um cruzamento entre olhares de brasileiros e franceses sobre a cidade para revelar o suporte cultural da cidade que os agrega. Ela acontecerá entre os dias 13 de março e 03 de abril no célebre museu que consagrou Paulo Mendes da Rocha.

 

Tal curadoria condensa a trajetória de Sérgio Franco, sociólogo, educador e pesquisador de arte urbana, que teve nesta exposição um desdobramento de sua pesquisa acadêmica realizada naFAU-USP sobre a produção de arte na contemporaneidade, a qual aproxima o universo do graffiti e da pixação das problemáticas presentes nas discussões conceituais da arte desde a década de 1970.

 

Os assuntos que atravessam as obras são o vazio e a multidão, onde a solidão permeia a carência afetiva no hedonismo, a vida mental produzida pela experiência cosmopolita que cria a disposição racional da subjetividade do indiferente, e o deslumbramento apaixonado de todo aquele que se lança na metrópole com o espírito da aventura e da sorte.

 

Nesta edição serão 9 artistas, além de parte das obras da exposição em Paris, haverá novos trabalhos fruto da residência artística em Montmartre, com ensaios de Gal com Zezão nas catacombes, e com da Cestac no bar 11, no Louvre e na Torre Eiffel, e ainda três novos artistas brasileiros realizando o mesmo processo de criação.

 

Junto deste evento, haverá ainda um jornal com a presença discursiva sobre a contemporaneidade no urbanismo e na arte da cidade, com uma crônica de Marçal Aquino, um ensaio de Teresa Caldeira (prof. Berkeley) e uma entrevista com Paulo Mendes da Rocha(ganhador do Prêmio Pritzker e autor do projeto do Mube, onde ocorre a exposição), entre outros.

 

ARTISTAS

 

Fotografia:

 

Gal Oppido é arquiteto, fotógrafo, músico e multi-artista, autor do livro “São Paulo 2000”, esgotado por ser um dos melhores ensaios sobre a urbe na virada do milênio. Na SPMA explora a escala do macro e do micro da metrópole moderna em fotografias.

 

Rogério Canella é fotógrafo formado pela FAAP, e apresenta os subterrâneos da construção do Metrô, num empreendimento hercúleo que perfura a alma da cidade e revela a solidão deste bastidor sem platéia.

 

Intervenção urbana:

 

Breno Rodrigues é arquiteto nascido em Brasília, atua como artista-pesquisador de óptica e tecnologias ancestrais para trazer uma intervenção urbana inédita, que se apropria da incidência do Sol sobre anteparos para construir formas com as sombras.

 

Paulo Ito é pintor com intervenções urbanas por toda cidade, famoso pelo desenho de corpos deslumbrantes inspirados em Egon Schieller, e por criar trabalhos com os olhos vendados, onde a expressão possui conexões diretas com as camadas mais profundas da subjetividade.

 

Zezão é um dos artistas mais atuantes na paisagem urbana de São Paulo, sempre presente nos lugares esquecidos como as galerias pluviais, nos lugares desassistidos como a Favela do Moinho recentemente incendiada, e agora nas principais exibições sobre a Street Art no mundo;

 

Videoarte: 

 

Caecilia Tripp é artista nascida em Frankfurt que trabalha e reside em Paris, realizou exposições em varias cidades da Europa e Estados Unidos (New Orleans, New York, Berlin, Moscou, Genebra, Amsterdam e Bruxelas) explorando toda sorte de suportes da imagem, na SPMA ela apresenta a solidariedade orgânica da periferia na obra Mad Dog.

 

Djan Ivson é vídeo artista, pixador e idealizador dos ataques recentes realizados nas últimas Bienais de São Paulo mobilizando grande polêmica na mídia.

 

Xavier Faltot é um artista mutante, utilizando-se de múltiplos suportes midiáticos para se expressar, criador de programas de rádio em que monta o Studio nas ruas, e na SPMA realizou a vídeo-arte que sintetiza a reunião deste grupo de artistas.

 

Alessandra Cestac é artista, fotógrafa e realizadora de intervenções onde colocava a delicadeza de seu corpo nu sobre a brutalidade do concreto da cidade, na SPMA criou a instalação do quarto que condensa a solidão contemporânea e na qual amarrou o segurança do Secretario de Cultura que visitara o evento em Paris na sua vernissage

 

::: Serviço :::

Exposição “São Paulo Mon Amour”
De: 13/03 a 03/04
Horário de funcionamento: Terça a domingo das 10:00 às 19:00 hrs.| Entrada Franca
Local: MuBE (Museu Brasileiro da Escultura) | Avenida Europa, 218 – Jardim Europa – São Paulo / SP
Telefone: [11] 2594-2601

Rafael Guirra
Por Rafael Guirra 27 fevereiro, 2012 11:18


Escreva um comentário

Nenhum comentário

Ainda não há comentários!

Não existem comentários ainda, mas você pode ser o primeiro a comentar este post.

Escreva um comentário
Leia os comentários

Escreva um comentário

O seu endereço de email não será publicado.
Campos obrigatórios são marcados*

Aprendiz de Espiã

Facebook