Apanhador Só leva novos talentos do pop nacional ao Teatro Renascença

Rafael Guirra
Por Rafael Guirra 11 novembro, 2011 02:28

Apanhador Só leva novos talentos do pop nacional ao Teatro Renascença

Após rodar o Brasil em turnês desde o lançamento de seu primeiro álbum, Apanhador Só (2010), laureado com troféus no Prêmio Açorianos de Música 2011 e responsável por indicações nas duas últimas edições do Video Music Brasil da MTV, a celebrada banda porto-alegrense reúne no Teatro Renascença, dias 18, 19 e 20 de novembro, jovens talentos da música brasileira.

 

Bazar Pamplona (São Paulo), Banda Gentileza (Curitiba) e Rafael Castro & Os Monumentais (Lençóis Paulista, interior de SP) tocam pela primeira vez na capital gaúcha a convite do Apanhador Só, que sentiu a necessidade de trazer à sua cidade artistas de outros estados com os quais se identifica.

 

Os três grupos, que vêm se destacando na cena independente nacional, abrem as noites na temporada de shows do quarteto, que em breve fará pausa em sua agenda a fim de gravar o próximo álbum, previsto para 2012. No repertório da banda estão as conhecidas canções de seu disco de estreia, como “Um Rei e o Zé”, “Prédio” e “Nescafé”, e composições inéditas.

 

Com versos filosóficos e música de espírito aventureiro, o debut do Apanhador Só recebeu elogios nas principais publicações culturais brasileiras, que destacaram a destreza de Alexandre Kumpinski (voz e guitarra), Felipe Zancanaro (guitarra e voz), Fernão Agra (baixo e voz) e Martin Estevez (bateria e voz) para renovar e lapidar o rock – fundindo referências do tango ao reggae com o charme da percussão sucateira –, e poesias bem escritas e bem cantadas.

 

Juntas no projeto “Apanhador Só Convida” as quatro atrações reverenciam o legado da canção popular, equilibram pop com experimentalismos e provocam a audiência com letras arrojadas e bem humoradas.

 

Maior com Sétima

 

A Banda Gentileza chega a Porto Alegre com o repertório do CD de estreia. Ao aliar mistura de ritmos (do leste europeu à música caipira, passando por valsa e rock), habilidade do vocalista Heitor Humberto em tecer belos jogos de palavras e produção do renomado Plínio Profeta (que já trabalhou com Lenine, Lucas Santtana, Tiê, entre outros), o disco do sexteto curitibano recebeu menções em diversas listas de melhores de 2009.

 

Em suas músicas, Heitor (voz, guitarra, violino, cavaquinho), Artur Lipori (trompete, guitarra, baixo, kazuo), Diego Perin (baixo, concertina), Diogo Fernandes (bateria), Lucas Lara (guitarra, violão, viola caipira, ukelele, backings) e Tetê Fontoura (saxofone, teclado) fogem de rótulos e transportam o ouvinte a um lugar onde Cartola e Gogol Bordello convivem harmonicamente. No palco, eles transpõem os limites entre plateia e banda, envolvendo a audiência, como a amigos numa festa em que há espaço para tudo e todos. Inclusive para canções inéditas.

Ouça: www.bandagentileza.com.br

 

Maldito

 

O cantor-compositor Rafael Castro prefere definir seu som como “MPB roqueira”. Discípulo de Jards Macalé, Raul Seixas e Sérgio Sampaio, injeta em suas letras universo particular de personagens ao mesmo tempo debochados, românticos e surreais. Em pouco mais de quatro anos de carreira, coleciona oito discos, todos disponibilizados gratuitamente em redes sociais.

 

Mesmo com discografia extensa, Rafael já é autor de “novos clássicos”. “Me Chama Pra Dançar”, “Vou Te Encher de Birinight” e “Canapés” são cantadas em coro nas raras apresentações do músico, ao mesmo tempo crooner, seresteiro e showman. No palco, é acompanhado pel’Os Monumentais Filipe Franco (baixo), Fabiano Boldo (guitarra) e Ítalo Ribeiro (bateria), sumo da simplicidade elétrica e festeira do rock’n’roll.

 

Ouça: www.myspace.com/sabesp

 

Todo futuro é fabuloso

 

Formado numa república de estudantes na frenética Avenida Paulista, o quinteto Bazar Pamplona lançou seu disco de estreia, À Espera das Nuvens Carregadas, em 2008. Com produção de João Erbetta, guitarrista do trio Los Pirata e músico de apoio de Marcelo Jeneci, o álbum trazia canções como “A Música Que Ninguém Nunca Escutou”, “Agora Eu Sou Vilão” e “Céu de Cinema Americano”, joias pop da cena independente paulistana.

 

Da convivência na Rua Pamplona, Estêvão Bertoni (voz e guitarra), João Victor (guitarra), Rafael Capanema (baixo e teclado), Marcos Miranda (baixo e teclado) e Rodrigo Caldas (bateria) transformaram a banda num brechó sonoro, com letras coloridas, melodias pop e sessentismo (quase) sem cheiro de naftalina.

 

Após parcerias com o cantor-compositor Pélico (“Fulano” e “Não Corra, Não Mate, Não Morra”) e com o Apanhador Só (“O Porta-Retrato”), o Bazar Pamplona agora finaliza o álbum Todo Futuro É Fabuloso, que terá participações de Lulina (“É Tão Cafona O Que Sinto Por Você”) e dos músicos Heitor Humberto (Banda Gentileza) e Tatá Aeroplano (Cérebro Eletrônico).

 

Ouça: www.myspace.com/bazarpamplona

 

::: Serviço :::

“Apanhador Só Convida”
18 de novembro: Apanhador Só e Rafael Castro & Os Monumentais (SP)
19 de novembro: Apanhador Só e Banda Gentileza (PR)
20 de novembro: Apanhador Só e Bazar Pamplona (SP)
Sexta e sábado às 21h; domingo às 20h

 

Ingresso (por noite):
R$ 15 antecipado (nas lojas Multisom do Shopping Praia de Belas, Shopping Iguatemi e Rua dos Andradas, 1001)
R$ 20 na hora

 

Teatro Renascença
Endereço: Av. Érico Veríssimo, 307, Menino Deus – Porto Alegre, RS
Capacidade: 294 lugares
Telefone: (51) 3289-8067 e 3289-8066

Rafael Guirra
Por Rafael Guirra 11 novembro, 2011 02:28


Escreva um comentário

Nenhum comentário

Ainda não há comentários!

Não existem comentários ainda, mas você pode ser o primeiro a comentar este post.

Escreva um comentário
Leia os comentários

Escreva um comentário

O seu endereço de email não será publicado.
Campos obrigatórios são marcados*

Dora e a Cidade Perdida

Facebook

O Clube dos Canibais
Meu Nome é Daniel